Criança líder, adolescente não influenciável

Estimular desde cedo a criança a se desenvolver dentro de suas habilidades naturais é um processo que trará autoconfiança a ela. Essa autoconfiança servirá de ingrediente para múltiplas receitas e uma delas é desenvolver as habilidades necessárias para a criança líder.

A ideia errônea de que ser líder é mandar e outros obedecerem, muitas vezes confunde pais e educadores. Há crianças que desde cedo mandam e os outros a obedecem, inclusive os pais, mas esse é um processo de tirania e não de liderança. Por isso, o mais importante é observar se essa criança consegue conduzir a si mesma.

Quando a criança recebe estímulos adequados em casa e na escola desde cedo, torna-se mais fácil o processo de desenvolvimento dessa liderança.

E quais seriam as vantagens de se tornar um líder?

Eu diria que a liderança é o que torna o indivíduo menos influenciável. E este é o aspecto mais importante de ser um líder. É ser capaz de ter suas próprias convicções, e defendê-las, é ter autonomia para idealizar projetos, é ter capacidade de executá-los.

Se é essa a Educação que você deseja para o seu filho, recomendo aliar-se à escola e juntas, traçarem um plano para que seu filho possa ser ensinado o quanto antes a desenvolver suas habilidades sociais e emocionais, para que possa tomar decisões coerentes, levando em conta cada fase da sua vida e o seu planejamento de futuro. O ingrediente que citei no início deste texto que é a autoconfiança, será empregada na educação para que essa criança consiga adaptar-se às tarefas escolares, ser persistente nos seus projetos, motivada no aprendizado, na busca de conhecimentos, e para que tenha espírito de equipe, motivação e envolvimento.

Só com um espírito de liderança bem desenvolvido, a criança se manterá convicta dos valores familiares, da ética e da responsabilidade de seus atos, principalmente na adolescência onde as pressões e a identificação com amigos aumentam e muitas vezes acabam influenciando-na de forma negativa.

Portanto, os pais e educadores são os principais responsáveis por fornecer as ferramentas para que a criança se torne uma pessoa justa, ética, responsável; alguém com opinião e clareza nas suas tomadas de decisões.

Com a sua orientação, ele vai aprender a comunicar-se de forma eficaz, usar estratégias, lidar com situações complicadas, a planejar tudo com antecedência e não receber influências externas sem passar pelo crivo que ela mesma desenvolveu.

Algumas habilidades que fazem parte do processo da formação de um líder:

• Autoconfiança - O estímulo das habilidades naturais do seu filho só trará retornos positivos. Se ele é bom no esporte, estimule-o à prática. Se gosta de música, compre-lhe um violão. Ao ter apoio para praticar ações das quais já tem capacidade, melhora-se a disposição para a prática das que não as desenvolveu ainda, pois haverá aí, coragem e disposição para enfrentar o medo do desconhecido.

• Tomada de decisões - Deixe que seu filho tome algumas decisões no dia-a-dia. Pode ser o sabor do sorvete, não importa. Dê-lhe tarefas, atribua-lhe o valores por tudo aquilo que faz.

• Resolução de problemas - Seja mais flexível, dê oportunidades ao seu filho de compreender os fatos reais que ocorrem na rotina do lar, dê a ele a oportunidade de pensar, de analisar, de pesar consequências. Discuta com ele os pontos de vista diferentes, as abordagens variadas e suas possíveis soluções.

• Trabalho em equipe - As crianças precisam aprender desde cedo o valor de conviver bem com os outros, de valorizar o próximo pelo que ele é e pelo que ele pode oferecer no relacionamento de ambos. A parceria ainda é o melhor caminho para o sucesso.

• Habilidade financeira - Ensiná-lo desde pequeno a custear pequenas despesas, atribuir-lhe pequenas responsabilidades, cuidar de uma poupança própria ou precificar determinado produto explicando o seu valor, ainda é a forma mais correta de preparar seu filho para o mundo das finanças. Não hesite e nem subestime a capacidade de seu filho, ele certamente o surpreenderá.

• Envolvimento e motivação - Informe a criança antecipadamente do projeto como um todo. Isso a mantém interessada, tornando-a participante de tudo. A criança tem que entender a motivação pela qual as coisas acontecem. É como pedir-lhe que pare de brincar para calçar o tênis. Ela o fará, mas não sem ficar triste pela interrupção da brincadeira. Agora, ao explicitar que o motivo pelo qual ela tem de calçar os tênis é para ir fazer algo que lhe agrada muito, o fará motivada e envolvida com a ideia por ter conhecimento da proposta.

A sociedade necessita de líderes justos, que possuam e saibam usar a ética, que saibam respeitar opiniões, que compreendam a livre escolha de cada um, que valorizem o que é correto, enfim, líderes que possam transformar o mundo.
 
É nisto que nós da Escola Ponto Alfa acreditamos.